Enercom

Login
Home » Notícias » Eficiência Energética » Modelo elétrico brasileiro deve servir de inspiração à Europa
A+ R A-

Modelo elétrico brasileiro deve servir de inspiração à Europa

Enviar por E-mail Versão para impressão
Modelo elétrico brasileiro deve servir de inspiração à Europa 28-10-2013

O Brasil tem dado passos significativos na regulação do seu setor elétrico que “devem servir de inspiração” não só a Portugal, mas à própria União Europeia, defendeu Artur Trindade, secretário de Estado da Energia, citado pelo Público deste domingo.

O sistema elétrico brasileiro construiu e gere praticamente à escala continental uma rede com forte peso de renováveis, representando “uma oportunidade para a Europa aprender” como funciona um mercado assim, sem barreiras de interligação.

A falta de capacidade de interligação entre vários países da União Europeia, começando entre Espanha e França é apontada como a grande barreira ao desenvolvimento de um mercado elétrico integrado, impedindo os países ibéricos, por exemplo, de escoarem a sua energia excedentária, especialmente renovável “para a Europa onde ainda se queima carvão”.

Para o secretário de Estado, este é um exemplo em que Portugal e Brasil “têm muito a ganhar em termos de cooperação no setor elétrico”. Por um lado, “Portugal deve promover essa aprendizagem do modelo brasileiro”, por outro, “pode mostrar caminho” em áreas como a eficiência energética, as redes inteligentes, a contagem inteligente e mobilidade inteligente.

“Mostrar o positivo e as correções para que não se façam os mesmos erros vai poupar tempo a que entrar agora nestes desafios”, acrescentou.

Artur Trindade defendeu esta cooperação, sexta-feira, num encontro no Rio de Janeiro dedicado a redes inteligentes e cidades inteligentes (cujo desenvolvimento depende em muito da indústria elétrica), organizado pelo Grupo de Estudos do Setor Elétrico (GESEL) da Universidade Federal do Rio de Janeiro e pelo centro de engenharia e inovação CEIIA, de Portugal.

O CEIIA desenvolve neste momento dois projetos de mobilidade, um em parceria com a elétrica CPFL de Campinas e outro no Rio de Janeiro com a ONG Redes, o Observatório de Favelas e a Perfeitura para o complexo da Maré, onde se localizam 16 favelas.

A EDP tem em curso na cidade de Aparecida, dentro da sua área de concessão, um projeto que partiu da experiência que teve em Évora com o InovCity.

Para o mercado brasileiro, trata-se de aproveitar e desenvolver o conhecimento que Portugal adquiriu em gestão da mobilidade inteligente e cidades inteligentes.


EE / Público

Login